Indo audaciosamente aonde nenhum homem jamais esteve!

Acontece em São Paulo por esses dias a 9ª edição do CAMPUS PARTY Brasil que é um evento de 6 dias que reune centenas de hackers, desenvolvedores de softwares, bloggers, especialistas em games e aficcionados por tecnologia, que ficam acampados e conectados, discutindo a cultura digital. Com versões em diferentes países, o evento é considerado um dos maiores quando o assunto é inovação, ciência, criatividade e entretenimento digital. Alguma dúvida sobre como será o futuro? Eles estão pensando na resposta para essa pergunta nesse exato momento!

Nessa edição, o fundador do evento e CEO da CAMPUS PARTY, Paco Ragageles, falou na abertura sobre a visão dele sobre o nosso mundo daqui a (apenas) 50 anos: “A revolução tecnológica, somada à revolução quântica, mudará absolutamente tudo. Todos os empregos serão extintos”. Para ele, os robôs serão capazes de realizar quaisquer trabalhos manuais, as impressoras 3D poderão imprimir absolutamente tudo e os transportes serão autônomos.

Mais ainda: “Se as máquinas trabalham, os humanos exploram, investigam, aprendem, têm tempo para o prazer e diversões. Não existirá mais o dinheiro, não precisa existir, e seremos mais humanos”. O problema é que nesse modelo a sociedade humana tem que ser igualitária: “A riqueza gerada pelas máquinas deve ser distribuída igualmente por toda a sociedade. Todos terão acesso, e não só alguns”.

Os computadores com processadores quânticos já são uma realidade nos laboratórios do Google. Ainda não existem máquinas como essa funcionando, mas os testes até agora indicam que esse tipo de computador será capaz de calcular em poucos segundos o que o mais avançado computador comercial hoje levaria 1 ano para calcular. Imaginem a velocidade da informação e da produção aumentando ao ritmo quântico! No vídeo abaixo, há 10 exemplos de coisas que foram feitas usando impressoras 3D em 2015 (lembrem-se que os computadores que operaram essas impressoras ainda não são quânticos):

Esse cenário sinalizado por Paco Ragageles tem um paralelo na ficção científica utópica de Jornada na Estrelas. As viagens da nave Enterprise conduzidas pelo capitão Kirk (William Shatner) seu Primeiro Imediato Spock (interpretado pelo ator já falecido Leonard Nimoy), se passam em um futuro onde as pessoas não tem preocupações com posses, fronteiras, raça e gênero. O objetivo é explorar, criar, avançar e levar a espécie humana aonde nenhum homem jamais esteve.

leonard-nimoy

Estamos preparados para esse cenário? Ainda em seu discurso de abertura Paco nos acena: “Educaremos nossos filhos não para perseguir o sucesso, mas sim para descobrir o que querem fazer, como serem felizes”.

Considerando que 50 anos são um período de tempo bem curto, será que estamos considerando todas essas possibilidades quando pensamos na educação de nossos filhos e netos? Qualquer reforma na educação que não seja uma total revolução está fadada ao fracasso se não percebermos que o grau de liberdade que teremos nesse futuro precisa se ancorar em valores que nos façam ver uns aos outros como iguais. Spock poderia nos dizer que essa conclusão é simplesmente lógica!

Mauricio Zanolini

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s